DestaquesNão é Bem Assim

TJ-RS decide que atirar em policiais não necessariamente é tentativa de homicídio – NÃO É BEM ASSIM

Posto da Polícia Rodoviária Federal – Imagem Ilustrativa

Notícia que tem viralizado nas redes sociais e sendo reproduzida por jornais menores vem com a manchete alarmante:

“Atirar contra policiais não necessariamente é tentativa de homicídio, decide tribunal”

E acompanha a notícia:

“Repercute nas redes sociais uma decisão da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) que confirmou uma decisão de primeira instância excluindo dois acusados de tentativa de homicídio de julgamento pelo tribunal do júri. Seguindo a jurisprudência da câmara, os desembargadores entenderam que, durante uma perseguição, suspeitos que atiram contra policiais não necessariamente desejam matá-los ou assumem esse risco.

“Não há elementos a evidenciar que o réu teria feito mira, direcionando os disparos contra os policiais militares, mas sim efetuaram os disparos como forma de evitar ou dificultar a aproximação”, escreveu o relator, seguido pelos dois colegas. “Não se pode presumir que quando alguém efetua um disparo de arma de fogo em fuga de policiais, está atirando para matar os agentes”, escreveu o juiz de primeira instância. Pela decisão, os suspeitos podem ser acusados apenas de crime de resistência ou de disparo de arma de fogo.”

A notícia é VERDADEIRA, mas a manchete é FALSA!

Nossa equipe foi verificar, e deu um pouco de trabalho porque hoje em dia tanto a grande mídia quanto as mídias alternativas fazem de tudo para esconder a fonte, com o intuito de escrever a notícia da forma que acharem melhor sem serem questionados, no caso da notícia em questão, escondem algo que é imprescindível para a validação da notícia, que é o número do processo em questão, algo que fomos obrigados a dar alguns telefonemas para conseguir.

O processo em questão é o 0017304-41.2019.8.21.7000
Onde realmente foi decisão que por não ter mirado na viatura, o réu estava absolvido da acusação de tentativa de assassinato, e é lógico que isso pode abrir precedentes para decisões futuras, porém, não chega a ser como diz a manchete, que foi redigida com o intuito de impactar e ganhar cliques, caracterizando uma técnica conhecida como clickbait.

OBS.:
Por se tratar de uma análise de uma notícia que deverá repercutir, deixamos claro que esta checagem não reflete nossa opinião, nos limitamos a postar apenas informações que podem ser checadas.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo