DestaquesÉ FalsoSem categoria

Relatórios da Comissão da Verdade servem como fonte?

Sempre que vemos uma discussão sobre o que ocorreu durante o período militar (1964 – 1985), vemos sempre alguém com ares de mais informado retirar da manga alguns relatórios que parecem elucidar a questão, e como fonte é citada a Comissão Nacional da Verdade, que foi instaurada durante o governo Dilma Rousseff, e segundo seu site oficial, teve por finalidade “apurar graves violações de Direitos Humanos ocorridas entre 18 de setembro de 1946 e 5 de outubro de 1988”. ou seja, não teve como alvo apenas os militares, até Getúlio Vargas e José Sarney entraram no pacote, não esqueçamos que essa comissão foi idealizada por Dilma Rousseff.

A proposta inicialmente parece boa, a final de contas, a verdade é sempre bem-vinda, o problema começa como a comissão foi montada.

Como toda comissão investigativa focada em assuntos ideologicamente polêmicos, a comissão deveria ser formada com números iguais de integrantes de cada lado do conflito, mas não foi assim que foi feito, os membros do colegiado foram indicado pelo poder executivo por critérios aparentemente profissionais, porém, todos partidários de um único lado do conflito.

Desta forma, ao ler os relatórios da comissão em questão, conseguimos apenas ver o ponto de vista investigativo de um dos lados, ao maior estilo “a história escrita pelos vencedores”, muito pouca coisa pode ser vista do outro lado da história, assim mesmo porque um ou outro depoente deixou escapar algo que não estava sendo perguntado, e uma vez falado nos microfones e gravado em fita que não poderia ser editada, teve que ir obrigatoriamente para o relatório.

Nosso parecer sobre a credibilidade da Comissão Nacional da Verdade para ser utilizada como fonte é o seguinte:

Da mesma forma que não poderíamos em hipótese alguma utilizar como fonte uma comissão formada exclusivamente por militares, não podemos utilizar como fonte uma comissão formada por pessoas alinhadas ideologicamente com os comunistas, seria a mesma coisa que confiar cegamente em textos retirados de sites do PT, PSDB ou do PSL.

Desta forma, sempre que ocorrer de citarmos a Comissão da Verdade em alguma checagem, só utilizaremos informações que podem ser checadas outras fontes mais confiáveis.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo